Resumo da prova de História de Israel – 20/09/2010

Conteúdo: Patriarcas; Egito; Deserto; Conquista e Juízes

Os Patriarcas

A era patriarcal em estudo abrange a chamada de Abraão(Gn12) ao êxodo do Egito, um período de  aproximadamente 630 anos. A palavra chave deste período é PROMESSA.

Propósitos:

1) Estabelecer a fé em um só Deus – Monoteísmo

2) Formar uma Nação-Sacerdote – Israel seria o Sacerdote de Deus às nações do mundo – Gn12:3 (Teocracia).

3) Formar e preparar a descendência do Messias na nação nação onde Ele haveria de nascer (Pessoas chaves para o nascimento de Jesus foram Abraão, Judá e Davi).

4) Possuir a terra de Canaã, cumprindo assim a promessa feita a Abraão.

Assuntos principais:

  • Os personagens – Abraão, Isaque e Jacó;
  • As regiões das peregrinações – Mesopotâmia, Egito e Canaã;
  • A geografia dos patriarcas
  • Os costumes sociais e religiosos da época – ex. sacrificar o filho era habitual.

A Mesopotâmia viveu seu período mais importante em 1900 a.C, no período em que Abraão viveu. Neste período já haviam cidades formadas aqui, mas se constituíam como cidades-estado e não como monarquias. Haviam também clãs que peregrinavam no território: os beduínos (era o caso dos patriarcas). Os clãs burgueses se caracterizavam por estabelecerem-se nas cidades-estado . Os clãs viviam de três coisas: comércio (ex.: ismaelitas), criação de gado e agricultura. Os patriarcas se especializaram na comercialização e no pastoreio (os judeus até hoje se destacam no comércio). A idéia de Reino começou a se desenvolver com Ninrode em Gn10:8, o primeiro rei da história. Depois que Abraão saiu da Mesopotâmia, este território só volta à estudo no período do exílio (Esdras e Neemias).

Quando Abraão recebe a chamada de Deus, ele já não estava em Ur dos Caldeus, sua cidade natal, mas em Harã (Gn11:28ss).

O Egito era a potência mundial neste período. Em contraste à Mesopotâmia, o Egito já tinha mil anos de organização monárquica, sistema de escrita avançada, o papiro e habilidade em todas as ciências. Abraão teve uma relação complicada com Faraó (Gn12: 10-20).

Canaã não recebeu este nome por causa do neto de Noé, e sim porque os gregos faziam um grande comércio com os habitantes desta região, que eram grandes produtores de púrpura, em grego, chamada de Canaã. Este território foi povoado pelos filhos de Cam, irmão de Sem. Ao tomar posse da Terra prometida, Israel desapossou os seus próprios primos. Chamada também de Vale do Jordão, Palestina e Israel, Canaã era dividida em quatro regiões principais: A Planície marítima (Gaza); A região montanhosa (Jerusalém e Hebron); O Vale do Jordão (Nazaré e Jericó, culminando com o Mar Morto) e o Platô Oriental (Gileade e o Monte Hermon).

O Egito e o Êxodo

Levantar-se um novo Faraó que não conhecia José diz respeito a uma nova dinastia que começou no Egito. Israel era consideraso vulgo no Egito e habitavam em Gósen

A emancipação de Israel:

  • Data do Êxodo: c. 1450 a.C. (1Rs 6:1)
  • Narrativa Bíblica (do Egito ao Mt. Sinai – Êx 1 – 18)

1. Acampamento ao pé do Sinai (Êx 19; Nm 10)

2. Peregrinações pelo deserto (Nm 10 – 21)

3. Acampamento antes de Canaã (Nm 22; Dt 34)

Do Egito ao Sinai   -   3 meses

Ao pé do Sinai   -  11 meses

O Sinai representa a criação da Religião Judaica.

Para se constituir uma nação é preciso: o povo (os descendentes de Jacó saídos do Egito); a religião (estabelecida no Sinai); a legislação (A Lei de Moisés) e o território (a ser conquistado – Canaã).

Fatos importantes:

· As Pragas – Êx 7 – 11

· A Partida do Egito – Êx 11:51

· A instituição da Páscoa – Êx 12

· Fundação da Nação de Israel – Êx 13

· A Promulgação da Lei – Êx 20

· A construção do Tabernáculo – Êx 25 – 31

Fatores importantes no período do deserto, que definiram o perfil da nação:

  • O Pacto. 1ª aliança com Israel, para que fosse uma nação santa (Êx 19: 5,6).
  • O Decálogo. A Constituição, sobre a qual se baseia a Lei mosaica, focando leis espirituais, morais e civis (Êx 20).
  • O Santuário. Centro de culto da nação – o Tabernáculo, tinha o objetivo de unificar a nação (Êx 25:1-9)
  • O Sacerdócio. O sacerdócio passa a ser exercido exclusivamente pela família de Arão (Êx 28:1,2)
  • As oferendas. Regulamentação das ofertas a serem oferecidas no Tabernáculo.

Tipos de ofertas – Holocausto (Lv 1); Ofertas pacíficas (Lv 3; Lv 7:11-21); Ofertas pelo pecado (Lv 4); Oferta pela transgressão (Lv 7:1-10); Oferta de Manjares (Lv 2); As Festas (Lv 23).

Período das conquistas

Palavra chave: CONQUISTA

603.550 é o número do 1º senso, geração que morreu no deserto. (Nm 1:46)

601.730 é o número do 2º senso, geração de Josué que recebeu o Deuteronômio e conquistou a terra de Canaã. (Nm 26:51)

Três grandes erros no período de Josué:

1º O pecado de Acã (Js 7:1);

2º A derrota para Ai (Js 7:2-26);

3º Precipitada aliança com os gibeonitas (Js 9).

Dois complicadores no período das conquistas:

1º A permanência de inimigos no território;

2º O território não foi totalmente conquistado.

Período dos Juízes

Palavra chave: APOSTASIA (Jz 21:25)

Este período abrange os livros de Juízes, Rute, e a primeira parte de I Samuel.

Os juízes não tinham características de líderes espirituais, Débora, entretanto se destacava neste aspecto (Jz 4:4,5). Samuel exerceu tríplice função – Juíz (Rei) (ISm 7:15-17), profeta (ISm 8) e sacerdote (ISm 7:2-10) – sendo isto um tipo de Cristo.

O livro de Rute liga o período dos juízes ao Rei Davi.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: